Permacultura, justiça social e resiliência:uma história no Nepal

Permaculture, Social Justice and Resilience_ My holiday in Nepal

Saudações,
Segue um breve relato da minha ultima aventura permacultural. Desta vez, compartilho os slides de uma apresentação que fiz sobre este trabalho costurados por alguns comentários. Também quero agradescer a fundação Lamb Watchers por possibilitar essa empreitada e a toda família do Meninas dos olhos de Deus pela acolhida e comunhão.
Nestes links (FOTOS DO LOCALMAPA e DOCUMENTO) é possível acessar diretamente a versão Beta do design. Sugestões e pitacos são ansiosamente esperados para podermos finalizar esta primeira etapa.
Pois bem, antes de começar o relato, vale lembrar que, além de uma cultura completamente diferente, o Nepal está no hemisfério norte e a fazenda a aproximadamente 2100 metros acima do nível do mar, fazendo desta, uma experiência completamente nova para mim.

A Meninas dos olhos de Deus é uma missão cristã que busca compartilhar compaixão e esperança. Entre outras atividades, possui 4 casas-orfanatos.meninasAs crianças acolhidas são oriundas de resgates de situações de tráfico humano com escravidão sexual em diversos locais da Ásia ou situação de risco, por exemplo se estão morando nas ruas de Kathmandu.

Permaculture, Social Justice and Resilience_ My holiday in Nepal

O projeto ainda conta com um trabalho de conscientização nas vilas, bolsas de estudo, uma escola, prestação de serviços básicos para a comunidade, formação de cursos profissionalizantes e uma fazenda doada pelo governo nepalês para que o projeto possa produzir parte do alimento que é consumido.

Permaculture, Social Justice and Resilience_ My holiday in Nepal

No ano de 2015, três fatores contribuiram para o convite do design permacultural. O primeiro foram os terremotos que avassalaram o país e que aindam continuam em menor intensidade.

Permaculture, Social Justice and Resilience_ My holiday in Nepal.png

Também um conflito político limita as importações na fronteira com a Índia. Na foto, uma das muitas filas para abastecer diesel com mais ou menos duas semanas de espera. Gás, energia, e outros produtos também são escassos ou sofrem rodízio.

Permaculture, Social Justice and Resilience_ My holiday in Nepal

Ainda, devido a crise econômica global, as doações que mantém o projeto estão diminuindo, fazendo com que o projeto venha estudando novas possibilidades para se sustentar.

Permaculture, Social Justice and Resilience_ My holiday in Nepal

Assim, a necessidade de reconstrução pós terremoto, a problemática de importações, pouca energia disponível e a necessidade de depender menos de auxilios externos tornou a Permacultura uma ótima alternativa para o contexto nepalês do Meninas. Na foto os himalaias, vista norte da fazenda do projeto.

Permaculture, Social Justice and Resilience_ My holiday in Nepal

A fazenda do projeto fica em Dolakhã, 130 km da capital Kathmandu, onde o projeto esta sediado. Duas famílias vivem no local e as crianças do projeto eventualmente visitam o lugar para lazer e mutirões para os plantios sazonais.

Permaculture, Social Justice and Resilience_ My holiday in Nepal

Após algumas conversas por email, chegamos a 3 objetivos para a minha visita de 15 dias:
Realizar um curso introdutório de permacultura para toda a liderança do projeto, desenvolver um design para a fazenda e auxiliar para a construção de uma rede de contatos locais.

Permaculture, Social Justice and Resilience_ My holiday in Nepal

O curso foi realizado em Kathmandu, com duração de dois dias e contou com diversas atividades, dinâmicas e aulas teóricas.

Permaculture, Social Justice and Resilience_ My holiday in Nepal

Seguimos para a fazenda após o natal para a realização do design. Fomos em 12 pessoas, numa caminhonete, numa viagem de muitas curvas e pra mais de 8 horas de duração… Ficamos no local por volta de 5 dias em que observamos, interagimos e trabalhamos. O lugar é lindo e possui muito potencial.

Permaculture, Social Justice and Resilience_ My holiday in Nepal

A rede de contatos permaculturais foi realizada virtualmente por meio do site permacultureglobal e dicas do permacultor Chris Evans cujo material específico para a realidade nepalesa adotamos (material). Visitamos a SunRise Farm e o Everything organic nursery.

Permaculture, Social Justice and Resilience_ My holiday in Nepal

E para um bom design com altas possibilidades de implementação buscou-se uma real integração com a comunidade local (aprendi a comer com as mãos e da-lhe pimenta em todas as refeições)

Permaculture, Social Justice and Resilience_ My holiday in Nepal

E buscar o envolvimento de todo o grupo no processo do design. Uns contavam suas experiencias, outros ajudavam a desenhar, bater fotos ou pintar, a depender da idade, talento ou experiência. No último dia o resultado prévio deste processo foi apresentado numa reunião formal numa das casas do orfanato.

Permaculture, Social Justice and Resilience_ My holiday in Nepal

O design foi realizado e uma plataforma on-line está conectando parceiros, técnicos e projeto para iniciarmos a etapa de implementação. Doações para que possamos implementar o design podem ser feitas aqui. Na foto, as crianças do projeto acampadas na quadra durante os dias em que os terremotos estavam mais fortes.

Permaculture, Social Justice and Resilience_ My holiday in Nepal

Nos links a seguir é possível conferir o design: fotos do localdocumento e mapa

Gratidão a todos que de alguma forma estão envolvidos nesta empreitada.

Bora cuidar da Terra, das Pessoas e Compartilhar…
Amém

Anúncios

7 comentários sobre “Permacultura, justiça social e resiliência:uma história no Nepal

  1. Produzir alimentos nessa altitude é bastante desafiador. Estou há um ano tentando aqui em Campos do Jordão (acima do Trópico, portanto bem mais quente, e a 1760m de altitude), mas parece que altitudes acima dos 1500m excluem muitas espécies da lista. Outro fator limitador aqui é o vento.

    Curtir

  2. Oi Joao!

    Que legal ler o seu relato! Fico contente com o fato de ter sido realmente uma troca de experiências! Tenho certeza que eles aprenderam com você tanto quanto você aprendeu com eles. E viva a economia colaborativa!

    Beijos,
    Laurinha

    Curtir

  3. João que trabalho incrível que você está realizando.
    Que legal tudo isso e os mapas, adorei!
    Trabalhar com a permacultura vai além da terra, é trabalhar as relações humanas e homem x natureza, que grande é isso!!!
    Gratidão a você que está nessa missão linda!!!

    Abraços
    Mari

    Curtir

  4. João, li seu relato com interesse, mesmo não sendo da área. Me senti tocada pelo desejo e desafio q Deus colocou em seu coração para servir a essas pessoas de tão longe por meio da sua formação acadêmica. Parabéns e… ‘siga adelante’! Abs, Néia

    Curtir

  5. Opa João, que alegria de ler tudo isso rapaiz! Uma iniciativa linda e necessária, bom demais!
    Quero saber se tem alguma possibilidade de colaborar a distância? Com certeza vou me programar para ir pessoalmente, afinal estou morando em Melbourne.
    Um grande abraço e manda ver ai!

    Curtir

  6. João
    Conheci seu trabalho através do Outlook, parabéns pelo belo ministério que Deus deu a você.
    Que o Senhor continue o abençoando ricamente. Um abraço, Christian Labrunie

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s